Loading...

Translate

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Não Sei

Certas vezes me pergunto sobre essa dificuldade que nós, seres humanos, temos em dizer "Não sei".

É muito comum uma conversa partir para uma discordância ilógica  com direito a desgaste.

Em momentos assim vem a tal da pergunta! Onde está a nossa capacidade de dizer "não sei ou não tenho nada a dizer sobre isso". Onde?

Quem sabe... " Olhe, este assunto parece, ou não, interessante, contudo eu quero ou não ter conhecimento disso. Deste ponto de vista pode surgir uma conversa extremamente proveitosa ou um silencio mais proveitoso ainda!

Não vejo o dito popular " Não sei e nem quero!" com negatividade, não assimilo a "Síndrome de Gabriela", pelo contrário, essa mania de em tudo termos que dar nosso pitaco desnecessário é o que nos coloca na posição da "Síndrome":
"Eu cresci assim. vou ser sempre assim...".

Pelo menos, creio termos passado disso, aprender e aprimorar-se sempre é meta.

Me diga que você nunca teve o famoso pensamento: " Por que fui abrir minha boca?"
Quantas vezes uma boca fechada racionalmente evitou grandes mal entendidos?
Para termos uma possível certeza disso basta olhar a nossa volta, redes sociais, etc...
Pessoas discordando de coisas as quais elas sequer podem dizer o que são.

Aquele papo de que cada um tem o direito a ter uma ou várias escolhas diferentes dos demais vem sendo tratado através de comportamentos como algo inexiste. Algo que deixou de ser um direito?! Pode isso?!

É evidente que, como citado, diferenças quando bem vistas podem ser tornar acréscimos em nossa cultura.
Contudo...
Sempre há uma resposta para o que não se foi perguntado.
Um murro para a ponta afiada de uma faca.

Não sei como nos suportamos...
J.Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário